Caos em Santa Luzia provoca apelos até para o presidente do STF

Moradores de um do bairro São Geraldo pedem ajuda a Joaquim Barbosa para que os serviços sejam retomados
De: Estado de Minas Cidade

Diante do caos nos serviços prestados pela Prefeitura de Santa Luzia,
Região Metropolitana de Belo Horizonte, a população do Bairro São
Geraldo não teve dúvida e fez um apelo ao presidente do Supremo Tribunal
Federal (STF), Joaquim Barbosa, que no processo do mensalão se mostrou
implacável. Na faixa, os moradores pediam que Barbosa visitasse a cidade
para ajudar a resolver os problemas. Depois de tomar posse, o prefeito
Carlos Calixto (PSB) adotou uma medida drástica e determinou a suspensão
de todos os serviços públicos, além do fechamento da prefeitura por 15
dias. Dos 25 postos de saúde, apenas quatro estão abertos para atender a
população. Calixto diz que a medida foi necessária para colocar a casa
em ordem, já que os primeiros levantamentos de sua equipe apontaram que
somente em contribuições de INSS e do Instituto dos Servidores, a
prefeitura deve R$ 111 milhões, enquanto a arrecadação é de R$ 20
milhões.
O prefeito tratou com desdém o pedido de socorro da população a Barbosa.
“Isso é ação política”, desconversou. Mas não perdeu a pose e, em
seguida, disse que ele é quem vai até Brasília para pedir ajuda ao
presidente do STF. “Depois de concluir o levantamento sobre a verdadeira
situação da prefeitura de nossa cidade, vou procurar o ministro, porque
gostaria de saber como os órgãos de controle como o Tribunal de Contas
do Estado (TCE), Câmara Municipal, entre outros, deixaram que essa
situação perdurasse por quatro anos”, afirmou. Ele defendeu maior rigor
na fiscalização da aplicação da Lei de Responsabilidade Fiscal por parte
dos prefeitos em fim de mandato. “Por onde anda essa lei?”, questionou.
Calixto, que já administrou a cidade de 1996 a 2004, derrotou Dr.
Gilberto (PSD), candidato à reeleição.