Interior terá R$ 2,4 bi em novos shoppings

Existem projetos em Santa Luzia, Betim, Montes Claros, Ribeirão das Neves, Varginha e Pouso Alegre.

De: Hoje em Dia Economia

Shopping center deixou, definitivamente, de ser coisa de “cidade
grande”. Antes esquecidos, municípios do interior do país entraram na
rota das grandes incorporadoras. Diante da falta de terrenos amplos e
baratos nos grandes centros e do crescimento no números de consumidores
com o avanço da classe C, essas empresas não hesitaram em tomar o
caminho da roça. Até 2014, somente em Minas Gerais, estão previstos pelo
menos 13 novos shoppings no interior, num investimento total de quase
R$ 2,4 bilhões.

Sinônimo de conforto para muitos mineiros que não precisarão mais
viajar à capital para se esbaldarem em redes de fast food, cinemas 3D ou
lojas de grife.

“Há 15 anos, 65% dos empreendimentos estavam nos grandes centros
brasileiros. Só 35% ficavam em cidades menores. Hoje, essa proporção se
inverteu. O interior já conta com 51% dos shoppings, contra 49% nas
capitais”, diz o diretor de relações Institucionais da Associação
Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luís Idelfonso da Silva.

O alvo principal desses templos de consumo são cidades com mais de 200
mil habitantes. “Além dos empreendedores, que perceberam o potencial do
negócio, os prefeitos desses municípios se deram conta de que esses
projetos alavancam a arrecadação de impostos e aumentam a
empregabilidade”, comenta Silva. A previsão da Associação Brasileira de
Shopping Centers (Abrasce) é que Minas chegue nos próximos dois anos com
30 shoppings no interior, sete a mais do que o total de centros de
compras em Belo Horizonte. Com tantos canteiros de obras, a estimativa é
que até o final do ano pelos menos 64 mil pessoas estejam empregadas no
setor em todo o Estado. Para 2013, o número pode passar de 70 mil.

Há projetos para todos os lados, gostos e bolsos. A novata 5R escolheu o Triângulo.

“Uberaba é a cidade que tem o maior PIB per capita da região. A renda
média domiciliar é de R$ 4.742 mensais e o potencial de consumo da
região é de R$ 148,5 milhões por mês”, enumera o diretor de Operações e
sócio da 5R, Cesar Garbin. O outro empreendimento do grupo será o Praça
Uberlândia, que deve abrir as portas no final de 2013.

O Grupo Falgo Empreendimentos tem projetos em Betim, Montes Claros,
Santa Luzia e Ribeirão das Neves. Já as apostas da Tenco são Varginha,
Pouso Alegre e Betim.

Em Betim, a Tenco investe R$ 270 milhões para erguer o Metropolitan
Garden, que terá cerca de 300 lojas. O polo industrial vizinho da
capital também foi eleito pela Prosperitas, gestora de private equity
imobiliário, que ainda coloca de pé seu SerraSul, em Pouso Alegre.
“Crise não passa nem perto de shopping”, afirma Garbin, da 5 R.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *